11953108_967694356626225_1890973445935009954_n.jpg

Chamados a estar no mundo para amar e viver o amor entre os irmãos, sejamos uma Igreja querigmática, missionária e mistagógica.

Uma Igreja querigmática é aquela que anuncia a Boa-Nova. Falar ao mundo sobre a novidade que Jesus de Nazaré traz à humanidade, como Senhor e Mestre, inaugurando um novo jeito de viver. Com ela aprendemos a caminhar com Jesus e a experimentar o seu amor divino. O Evangelista João na passagem do capítulo 3,16-17 nos fala da amplitude desse amor divino doado à humanidade: “Deus amou tanto o mundo que deu o seu Filho único para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Sua presença no mundo foi para que o mundo pudesse ser salvo por Ele, e foi. Ao doar sua vida na cruz, ele salvou o mundo e Deus foi glorificado por Ele, pois o que Jesus veio fazer no mundo foi realizar a vontade do Pai expondo seu projeto para nós. Jesus nos fala de si mesmo, quem é ele enquanto Filho de Deus e o que ele produz de transformação na nossa história de vida. Jesus falou de Deus e apresentou Deus de forma nova e diferente em relação ao conceito de Deus que normalmente se utiliza nas tradições do Antigo Testamento.

Nos Evangelhos Jesus está sempre a nos ensinar. Através de sua palavras vamos absorvendo a verdade de que Ele é o Messias enviado em cumprimento das profecias do Antigo Testamento. Com sua encarnação temos revelado o grande mistério: Deus quer intervir novamente na história e, por meio de seu Filho, salvar o mundo. É um amor tão grande que não temos como compreendê-lo a não ser, nos colocando nos passos de Jesus Cristo, Filho amado do Pai, quem no-lo deu a conhecer. Assim se diz: “Somente o Filho conhece o pai e aquele ao qual o Filho o quiser revelar” Mt 11,27).

Igreja Missionária

Evangelizar não é uma tarefa de alguns, mas de toda a Igreja. Todos devem estar a serviço da evangelização,uma missão não apenas de alguns, mas de toda a Igreja. Quando nos colocamos no seguimento do Cristo, estamos nos propondo a ser uma Igreja missionária, acolhedora que vai ao encontro dos irmãos para anunciar a todos essa nova realidade transformada e instaurada por Jesus: ‘o Reino de Deus Chegou’. Esse é o legado de Jesus para darmos continuidade. A Igreja sabe que todos os esforços que a humanidade está a fazer em favor da comunhão e da partilha tem plena resposta na ação de Jesus Cristo, redentor do homem e do mundo e que ela foi mandada por Ele como “Sinal e instrumento da íntima união com Deus e da unidade de todo gênero humano. Assim sendo, é por meio de todos nós, fiéis batizados, que a Igreja de Cristo torna-se presente nos mais diversos setores do mundo, como sinal e fonte de esperança e amor.

Igreja Mistagógica

É a mistagogia que nos revela a verdadeira compreensão da ação evangelizadora da Igreja. Falar de mistagogia é falar do sentido de se deixar conduzir para dentro do mistério. E a Igreja é esse mistério de Cristo. Ele a faz sacramento de si mesmo. E ao sermos iniciados na fé cristã, por meio dos sacramentos, somos conduzidos para dentro do “Mistério” que é Cristo em nós.

A mistagogia é um caminho de integração progressiva dos batizados na fé e na comunidade cristã. É a abertura para o dialogo com toda a História da Salvação, com o encontro com Jesus Cristo e com a experiência das primeiras comunidades. Assim, a mistagogia vem a ser um carisma no âmbito da Igreja que comporta a dimensão teológica própria da dinâmica da Revelação e fé. Falar da fé cristã é falar da certeza de uma esperança. Uma fé que não é baseada em coisas, mas ela nos remete a uma pessoa que nos deu uma nova vida, nos recriou, nos fez renascer como novas criaturas.

A fé cristã tem fundamento nas promessas garantidas por um acontecimento que, mesmo não tendo presenciado, cremos, aceitamos e recebemos, porque Ele, o Cristo, nos promete felicidade e nos conduz até ela, pois ela provém dele, emerge dele que está sempre aberto ao amor, á verdade e à justiça do próprio Deus. A felicidade que o homem busca e espera alcançar para dar sentido à vida culminará na esperança viva que o Espírito do ressuscitado infunde nas pessoas que creem.

Crendo, as pessoas buscarão os sacramentos que as iniciam na vida do Cristo, e pela mistagogia, serão conduzidos para dentro do Mistério de sua vida, tornando-se participantes do Mistério que é o próprio Deus.

A vivência e conhecimento da Sagrada Escritura e a vivência sacramental e comunitária auxiliará àquele que, pouco a pouco irá interiorizando e amadurecendo sua fé, introduzindo-o cada vez mais na experiência do Viver em Cristo. E essa é a vocação do Cristão.

Neuza Silveira de Souza

Secretariado Arquidiocesano Bíblico-Catequético